Blog do Portal

Caminho da roça: o que não pode faltar para viagem em estrada de terra

maio 24, 2017

Você toma os devidos cuidados na hora de enfrentar uma viagem em estrada de terra? Saiba que aventurar-se por esse tipo de percurso requer muita atenção, e o motorista deve tomar algumas precauções para que tudo corra da melhor forma possível.

De fato, é muito importante se atentar aos vários perigos que um trajeto do tipo pode apresentar — tanto para a segurança de quem está no interior do veículo, quanto para a integridade do carro e de seus componentes.

Sendo assim, resolvemos elencar alguns cuidados que não podem faltar no seu passeio. Continue a leitura e acompanhe!

Diferenças entre asfalto e estrada de terra

Para começar, é bom deixar claro que são situações bem diferentes conduzir o carro na estrada de terra e no asfalto.

A principal distinção entre esses dois tipos de chão é a aderência, tendo em vista que o veículo fica com sua tração comprometida quando conduzido em local de terra, podendo patinar, derrapar e até fazer com que o motorista perca o controle.

Por conta disso, o Código Brasileiro de Trânsito (CTB) estabelece 60km/h como velocidade máxima permitida em estradas rurais — visto que a condução ocorre sempre em condições adversas.

Tipos de piso em trajetos não asfaltados

Estradas de terra podem apresentar diferentes tipos de piso. Confira quais são:

  • lisos e escorregadios: também chamados de “costela de vaca”, são aqueles em que qualquer descuido faz com que o carro derrape;
  • arenosos e com cascalhos: melhoram um pouco a aderência, pelo fato de haver a mistura dos dois materiais;
  • facões: são os pisos nos quais o tráfego forma trilhos na pista com as rodas, deixando um espaço bem mais alto entre elas;
  • terra fofa: pisos muito perigosos, por possuírem terra fofa que, em casos de chuvas, podem formar lamaçais e atoleiros.

Como saber se dá (ou não) para passar

viagem em estrada de terra

Avaliar bem o solo é regra antes de tentar uma passagem, principalmente em caso de terra fofa. Isso porque, em alguns casos, se houver lama, pode ocorrer o afundamento do veículo.

Se o problema que se apresenta à frente for um atoleiro, o ideal é que o condutor observe o tamanho dos sulcos deixados por carros que já passaram pelo local.

A forma correta de fazer isso é retirando os sapatos e passando pelo local a pé, de preferência com um galho ou bastão nas mãos, para avaliar a profundidade do barro e perceber se o veículo conseguirá passar pelo trecho.

A principal dica ao trafegar em estrada de terra é não ter pressa, pois, do contrário, você pode atolar ou mesmo sofrer uma derrapagem séria. Tem que haver muita precaução e tranquilidade nessa hora, para se chegar ao destino com segurança.

Precauções antes da viagem em estrada de terra

Agora daremos algumas dicas de cuidados a serem tomados antes da viagem. Acompanhe!

Revisão

Para qualquer viagem que se pretenda fazer, uma revisão completa do veículo é essencial, principalmente quando ela ocorrer em estradas de terra — contexto em que o automóvel é muito mais exigido do que o normal. Sendo assim, 2 itens merecem uma atenção especial:

Pneus

Os pneus são elementos determinantes para que uma viagem de carro em estrada de terra seja bem sucedida. Assim, escolher os itens certos é fundamental.

O recomendável é adquirir um pneu misto — 50% dele atende à necessidade do asfalto e os outros 50% são para estradas de terra. O preço é mais ou menos o mesmo, mas sua vida útil é aumentada.

Outro ponto importante é calibrá-los adequadamente. O ideal é que isso seja feito próximo da hora de sair.

Filtro de ar da cabine

Esse componente merece atenção. Geralmente, quando trafegamos em estrada de terra, fechamos os vidros para que a poeira não penetre no interior da cabine. No entanto, o sistema do carro acaba sugando o ar, deixando o filtro sobrecarregado.

Com a saturação ocasionada pelo excesso de partículas, o funcionamento do filtro pode ficar prejudicado com alguns sinais, como a proliferação de fungos e odores. Além disso, seu desempenho em relação à refrigeração e ao desembaçamento possivelmente não será o mesmo.

Por isso, é bom trocá-lo em intervalos mais curtos, para que o ar no interior do veículo se torne mais puro, principalmente em casos nos quais o motorista trafegue em estradas de terra com maior frequência.

Bagagem

Organize sua bagagem com antecedência. O excesso de carga no automóvel pode deixá-lo muito mais pesado e fazer com que o escapamento toque o solo. Isso atrapalha alguns momentos da viagem — como quando é preciso passar por uma estrada mais acidentada de terra.

Sendo assim, leve apenas o essencial. Evite colocar objetos altos, que possam dificultar a visão do motorista, na parte de trás do veículo, bem como deixar bagagens soltas, pois elas podem se soltar e atrapalhar o condutor, chegando até a provocar acidentes.

Roteiro

viagem em estrada de terra

Faça um roteiro organizado do passeio. Verifique os lugares nos quais vai parar para fazer as refeições, entre outras necessidades. Essa medida evita que você fique em busca desses locais durante o percurso, o que pode atrasar a viagem e trazer aborrecimentos.

Lembre-se de curtir as paisagens também. Afinal, a natureza é tudo de bom.

Cuidados em curvas e descidas

Para situações de curva e descidas, o motorista deve ter uma atenção ainda maior. Por isso, é aconselhável evitar desvios muito acentuados e movimentos bruscos, inclusive o de frear abruptamente.

O que se recomenda nesse momento é a diminuição da velocidade, ou mesmo uma frenagem gradativa — mas antes de entrar na curva ou de uma descida maior. Existem carros apropriados para trafegar em terrenos desse tipo, que contam com tração nas quatro rodas.

No entanto, se a travessia pelo trecho acidentado tiver sido muito difícil devido à presença de lama, é aconselhável parar o veículo sem desligar o motor e abrir o capô para verificar se está tudo bem. Veja se há algum galho ou outra coisa que possa comprometer a suspensão e a tração.

O que fazer se o carro atolar

Se, por acaso, seu carro atolar na lama, é comum que as rodas de tração façam com que ele patine. Por isso, é aconselhável que o motorista não acelere, para que o automóvel não afunde ainda mais.

Avalie a situação e certifique-se da profundidade do atoleiro. Retire o excesso de peso do veículo, desobstrua as rodas da frente e faça rampas suaves.

Após isso, entre nele, engate a segunda marcha e acelere suavemente, para não sobrecarregar o motor e atolá-lo mais ainda. Se der certo, ótimo; se não, a melhor medida a ser tomada é chamar o reboque.

E aí, gostou deste post sobre viagem em estrada de terra? Continue com a visita em nosso blog e descubra qual é o carro ideal para estradas de terra!