Blog do Portal

Saiba como funciona a injeção eletrônica e os principais cuidados!

setembro 13, 2018

Ao abrir o capô do carro, muitas peças que estão ali dispostas nos parecem um bicho de sete cabeças. Na maioria das vezes, você pode até já ter ouvido falar delas, mas não tem ideia de onde ficam posicionadas e nem ao menos para que servem.

Esse é o caso da injeção eletrônica — para muitos, ela foi feita apenas para substituir os velhos carburadores, que nos abandonavam nos dias de frio. Sendo assim, a grande pergunta é: você sabe qual a verdadeira função desse sistema no seu veículo?

Para saber a resposta, preparamos este post com os principais tópicos a respeito da injeção eletrônica e os cuidados necessários que você deve ter. Está preparado para conhecer um pouco mais sobre as peças que estão sob o capô do seu carro? Então vamos lá!

Como funciona e quais são os componentes da injeção eletrônica

Até o final dos anos 90, os antigos carros eram produzidos com um sistema de carburador, uma peça que era a responsável por misturar o ar com o combustível e alimentar o sistema de combustão do motor

Por meio dos avanços tecnológicos e motivadas pelas leis que visam a melhoria do ecossistema, as montadoras investiram na criação do sistema de injeção eletrônica para substituir os velhos carburadores. Hoje, esse componente é obrigatório para os veículos que circulam no Brasil e passam por constantes melhorias.

Mas, afinal, você sabe para que serve a injeção eletrônica?

De uma forma simples, esse sistema controla a injeção de combustível no motor do seu veículo. Por meio de um chip eletrônico instalado na peça, esse controle é realizado a partir da leitura do funcionamento do motor — o ajuste é feito com base nos dados para obter o melhor rendimento do veículo. Esse sistema otimiza o desempenho e a eficiência do motor do carro enquanto ele está funcionando.

Quais são os componentes da injeção?

  • Sensores

O sistema de injeção eletrônica funciona a partir dos dados repassados pelos sensores que analisam o funcionamento do motor e transferem as informações para uma central. Esses sensores são distribuídos estrategicamente em pontos específicos do motor para verificar a pressão, temperatura, velocidade e como está o funcionamento proporcional dos reagentes diante desses elementos durante a queima de combustível.

  • Central de informações

A central é o componente essencial de funcionamento do sistema de injeção eletrônica, pois recebe as informações repassadas pelos sensores e faz o gerenciamento do motor com base na leitura e análise dos dados.

Esse componente é responsável por confrontar os parâmetros de fábrica com as informações repassadas pelos sensores e, assim, controlar a injeção necessária de combustível para atingir o melhor desempenho e eficiência do motor do carro.

  • Autuadores

Esses componentes são os responsáveis diretos pelas etapas de alimentação e queima de combustível do motor a partir dos dados gerados pela central de informações. Para realizar essa função, as peças que formam esse componente são a bomba injetora de combustível, bobinas de faísca, motor de passo e ventoinha de arrefecimento.

Quais são os benefícios desse sistema

A substituição do carburador aconteceu não somente pelas falhas que essa peça apresentava na hora de injetar combustível para ligar o carro, mas, sim, pelas melhores condições de funcionamento que o sistema de injeção eletrônica trouxe e pela redução significativa da poluição.

São dois os benefícios essenciais alcançados com a substituição do carburador.

  • Redução na emissão de poluentes: com o motor trabalhando em pontos corretos e em sintonia, automaticamente, reduziram as sobras de combustível que são liberadas no ar;
  • Eficiência no consumo de combustível: com o motor funcionando corretamente, o combustível é aproveitado de forma correta, por isso, o consumo reduziu significativamente. O motor trabalha melhor com a injeção correta do combustível!

Quais os cuidados necessários e a manutenção

A manutenção preventiva do sistema de injeção eletrônica do veículo é essencial. Pelo menos, a cada 30 mil quilômetros percorridos é fundamental realizar a limpeza dos bicos, correção da formação de carvão na câmara de combustão e fazer uso de combustível aditivado em alguns períodos para evitar problemas.

Mas algumas dicas podem ser essenciais para melhorar o funcionamento do sistema e evitar possíveis problemas.

  • Evite pisar no acelerador ao ligar o veículo, isso deixará o carro acelerado e pode prejudicar a leitura dos sensores;
  • Evite fazer “chupeta” para não ocorrer pane elétrica por causa da sobrecarga ou inversão de polaridade, que pode levar a danificar os componentes eletrônicos do veículo;
  • Em caso de falta de bateria, não faça o carro “pegar no tranco”;
  • Evite a lavagem do motor com jatos de pressão, isso pode danificar diversos componentes eletrônicos;
  • Não ande com o carro na reserva, isso aumenta a temperatura dentro do tanque de combustível e danifica a bomba elétrica.

Quais os principais problemas na injeção

Os sinais de problemas vão aparecendo aos poucos com a utilização diária do veículo. Se o motorista não estiver atento, ele pode prejudicar o funcionamento do veículo e danificar o componente de injeção do carro.

Quando o carro perde potência e o motor fica engasgando ou apresentando falhas durante o funcionamento, esse é um sinal claro que algum dos componentes do sistema pode estar apresentando uma falha.

Você poderá perceber que o veículo começa a apresentar pouco rendimento em relação ao consumo de combustível. Ao trafegar com a marcha lenta, o carro apresenta um comportamento irregular e, principalmente, ao pisar no acelerador, você nota a diminuição da potência, com maior dificuldade nas retomadas de velocidade.

Como identificar os possíveis problemas

Separamos alguns sinais perceptíveis durante a utilização do veículo que ajudam a diagnosticar possíveis falhas no sistema que podem estar prejudicando o funcionamento do motor.

  • Aumento do consumo de combustível;
  • Diminuição esporádica ou falta de potência do motor;
  • A luz da bomba de injeção está acesa ou pisca em diferentes situações (ao ligar ou durante o trajeto);
  • Dificuldade para ligar o veículo pela manhã, quando o carro engasga ou falha.

O sistema de injeção eletrônica do seu carro é fundamental para o funcionamento do motor. Por isso, conhecer as suas funções e saber diagnosticar possíveis falhas é essencial para evitar problemas mais graves no seu veículo.

O que você achou deste post sobre como funciona a injeção eletrônica e quais os principais cuidados? Gostou? Então não deixe de compartilhar este texto com os seus amigos usando a suas redes sociais! Afinal, para quem tem carro, é essencial dominar esse assunto, não é mesmo?