Blog do Portal

Saiba como comprar carro sem entrada

julho 30, 2019

Ao decidir trocar ou comprar um carro novo, o consumidor precisa analisar uma série de fatores, além da marca e do modelo que mais o interessam. A forma de pagamento é uma decisão muito importante, já que nem sempre é possível comprar carro sem entrada.

Com a retomada da economia após um momento de crise, as linhas de crédito estão mais acessíveis e, em algumas ocasiões, com taxas de juros bastante atraentes para estimular o consumidor a fazer a compra.

É preciso aproveitar as oportunidades, como promoções, bônus para marcas e modelos específicos, campanhas para avaliação mais vantajosa do carro, usado como parte do pagamento, entre outras opções que ajudam na hora da entrada.

Que tal entender as formas de pagamento mais comuns para fazer a melhor negociação e acertar a compra? Confira!

Pagamento à vista

Essa é a forma mais desejada de fazer uma compra para todos os brasileiros. Porém, nem sempre é possível chegar a uma loja, escolher um carro e sair dirigindo sem precisar fazer um financiamento.

Pagar à vista é uma maneira de economizar dinheiro na aquisição do carro. Isso porque diminui a perda na desvalorização, não demanda pagamento de juros pela disponibilidade de crédito, não compromete o orçamento mensal com a compra, não exige que o carro seja dado como garantia de pagamento para a financeira, e ainda permite uma melhor negociação na hora de fechar o negócio.

Consórcio

Se não existe a possibilidade de comprar o carro à vista, uma segunda melhor opção é o consórcio. A compra planejada permite que o cliente tenha mais alternativas para realizar um bom negócio.

O consórcio é uma forma de poupança programada em que um grupo de consumidores se reúne para pagar por uma carta de crédito com valor e prazo de pagamento definidos. Como o dinheiro é administrado por uma empresa especializada, não existe o pagamento de taxas de juros, mas de uma taxa de administração do contrato, por isso, é uma das formas mais econômicas de comprar um carro.

O planejamento permite definir o tempo necessário para a aquisição do carro com pagamento à vista, por meio de uma carta de crédito. Porém, para os clientes que desejam ou necessitam de um carro com urgência, essa não é uma opção viável, já que os planos de consórcio costumam chegar a até 100 meses.

Financiamento

Essa não é a melhor opção de pagamento na hora de comprar um carro, porém, é a mais utilizada atualmente. Devido às dificuldades econômicas que o país vive, nem sempre é possível ter uma reserva de dinheiro para comprar um veículo à vista ou, então, para dar uma entrada que deixe as parcelas do financiamento mais baixas.

Por isso, ao pesquisar um veículo na concessionária, é preciso também buscar pelas taxas de juros mais atraentes e condições de pagamento que se encaixem no orçamento, mas uma dica importante é não exceder o tempo das prestações em 60 meses.

As taxas de juros praticadas no financiamento podem fazer com que o cliente pague quase o dobro do valor do carro no final do contrato. Por isso, é preciso procurar por promoções que pratiquem taxas zero para pagamento em 12 ou 24 vezes. Com esse tipo de condição, a compra fica tão interessante para o cliente como o pagamento à vista. Sempre que possível, essa é uma excelente condição de financiamento para aproveitar. 

Porém, é preciso ficar atento na hora de contratar o financiamento para comprar um veículo. Como o carro é dado como garantia de pagamento pelo empréstimo, em caso de inadimplência, as instituições financeiras conseguem, na justiça, apreender o veículo para amenizar o prejuízo. Ou seja, o carro somente será do proprietário quando o financiamento for quitado.

Empréstimo

Essa forma de pagamento é semelhante ao financiamento, porém, não é realizada diretamente na concessionária, mas junto ao banco. O cliente utiliza sua linha de crédito disponibilizada de acordo com a relação direta com a instituição.

O carro é pago à vista para a concessionária ou revendedora, mas a dívida é contraída diretamente com o banco. Nesse caso, a instituição bancária também costuma usar o carro como garantia de pagamento do empréstimo, por isso, geralmente, a documentação do veículo fica em nome do banco.

Compra sem entrada

Essa é uma forma de pagamento recorrente, mas, em contrapartida, deixa o valor das prestações ainda mais alto que o habitual em um financiamento. Isso porque, normalmente, as concessionárias pedem um sinal de entrada de 20% do valor do veículo. Caso esse sinal não seja pago antecipadamente, é diluído nas prestações e também é acrescido da taxa de juros.

Para quem não tem uma reserva de dinheiro para comprar o carro, essa é uma excelente opção de pagamento, uma vez que não é preciso dispender de valores para entrada, e o cliente pode prolongar o prazo de pagamento para não se comprometer com prestações mais altas.

É preciso estar atento na hora da negociação, pois, via de regra, as concessionárias praticam taxas de juros diferenciadas para os clientes que pretendem financiar 100% do valor do veículo. A aprovação de crédito também tende a ser mais burocrática, já que, paras as financiadoras, o risco de prejuízo é ainda maior, então, elas são mais rigorosas na hora da análise financeira do cliente.

Outro fator que precisa estar bastante claro para o consumidor na hora da compra é que, devido às taxas de juros mais altas e aos prazos mais longos para pagamento, no final das contas, é possível que o cliente pague o dobro do valor do veículo.

Ao decidir por comprar um carro novo, é preciso fazer uma pesquisa não somente da marca e do modelo que mais o agradam, mas também da forma de pagamento que mais ajusta-se ao seu orçamento. Se não houver dinheiro disponível para fazer o pagamento total ou parcial à vista, é preciso procurar a melhor opção para gastar menos no final das contas.

Agora que você conhece um pouco mais sobre as opções de pagamento e como comprar carro sem entrada, que tal entrar em contato conosco e conhecer as opções de veículos das nossas lojas? Não deixe de acessar a nossa página!