Blog do Portal

Quando devo trocar o fluido do radiador de carro?

junho 12, 2017

Diversos líquidos são fundamentais para promover o funcionamento correto de um automóvel. Entre eles, estão os fluidos do radiador de carro, que ajudam a manter a temperatura correta de trabalho do motor.

O seu bom funcionamento previne superaquecimentos e até mesmo o travamento desse item, que é o “coração do carro”.

Confira, neste post, quando fazer a troca dos fluidos do radiador de carro!

A importância do radiador de carro

Instalado entre o motor e a grade dianteira do automóvel, o radiador faz parte do sistema de arrefecimento do carro. É ele que prevenirá que o calor excessivo do motor provoque a dilatação e a fundição dos elementos metálicos que o compõem.

Ao regular a temperatura, o radiador contribui para a conservação da textura e da viscosidade correta do óleo.

Além disso, ele promove a diminuição do atrito entre as peças, facilitando a queima da mistura entre o ar e o combustível do motor. Ainda, preserva outras peças do sistema de arrefecimento, como as mangueiras, a bomba d’água e a válvula termostática.

Ou seja, a função principal do radiador é garantir que o motor e as outras peças do carro estarão sempre em condições ideais para funcionar, garantindo também seu melhor desempenho e maior durabilidade.

Características dos fluidos do radiador

O fluido do radiador é o líquido de arrefecimento, componente importante para controlar a temperatura do motor. Esse líquido pode ser apenas água, mas também é possível utilizar aditivos, que possuem duas funções básicas: manter a água no estado líquido e evitar a oxidação do motor.

Oxidação do motor

Os aditivos de arrefecimento, que são misturados à determinada proporção de água no reservatório do radiador de carro, possuem detergentes que evitam a degradação de diversos componentes do sistema de arrefecimento e também das partes metálicas do motor.

Eles protegem essas partes metálicas contra a oxidação e outros problemas. Se você utiliza apenas água como fluido do radiador e já a encontrou meio marrom quando foi conferir, saiba que isso é ferrugem.

Temperatura da água

Os aditivos são compostos basicamente por um tipo de álcool (etilenoglicol) que aumenta a temperatura de ebulição da água (passando de 100°C para 118°C) e diminui o ponto de congelamento (0°C). Com isso, o motor pode ser resfriado por mais tempo com a água aditivada no estado líquido, sem que o nível do reservatório varie.

Ou seja, apesar de algumas pessoas utilizarem apenas a água como um fluido do radiador, os aditivos — além de vários outros benefícios — fazem com que ela não corra o risco de secar, evitando vários outros tipos de problemas, além do trabalho de ter que conferir a água regularmente.

E, além de impedir que a água e o motor do carro esquentem mais que o normal, os aditivos são muito importante em países frios, pois evitam o congelamento dos mesmos.

Quando trocar o aditivo

A recomendação mais comum dada pelas montadoras é de realizar a troca do aditivo do radiador a cada 30 mil quilômetros rodados, a cada 12 meses ou o que ocorrer primeiro. Porém, essas recomendações podem variar de acordo com o tipo de fluido utilizado.

Verifique os níveis mínimo e máximo do reservatório. Se houver alguma perda de líquido, pode ser sinal de vazamentos no sistema. Nesse caso, é preciso procurar um mecânico para descobrir de onde vem o problema e solucioná-lo.

Lembre-se de que esse fluido possui prazo de validade e deve ser substituído, até mesmo para que ele não perca as suas propriedades. Contudo, há aditivos que possuem vida útil maior. Confira, no manual do veículo, outras informações sobre a periodicidade de troca.

Onde trocar o aditivo

Por mais que a abordagem dos frentistas — se oferecendo para completar ou colocar um aditivo no radiador — possa atrair alguns clientes, é importante que a substituição do líquido de arrefecimento seja feita em uma oficina mecânica.

O líquido que preenche o reservatório também fica em outras partes do motor e do sistema de resfriamento. Portanto, um profissional especializado retirará o líquido antigo com precisão e colocará a mistura correta.

O que fazer quando nunca se usou aditivo

A recomendação anterior também vale para aqueles que desejam completar o reservatório do radiador de carro com um fluido: fuja dos frentistas e procure uma oficina mecânica de confiança.

Em motores mais rodados, o acúmulo de resíduos ou suspeitas de vazamentos pode comprometer a eficiência do aditivo. O sistema de arrefecimento poderá ter entupimentos e apresentar falhas por conta de partículas metálicas que, porventura, estejam soltas dentro do conjunto.

Outra coisa que pode acontecer é que, em casos de veículos que nunca tiveram aditivos, ou que estão há muito tempo sem, as peças acabam enferrujando naturalmente. Então, quando o aditivo é adicionado, ele acaba limpando a ferrugem, e isso pode causar alguns problemas no carro.

O que pode ser feito para evitar esses problemas é aplicar um óleo solúvel para selar a ferrugem, antes de adicionar o aditivo.

Por isso, antes de colocar o aditivo pela primeira vez em seu radiador, é preciso checar todo o sistema de arrefecimento para garantir que está tudo certo — e somente um bom mecânico pode fazer isso com segurança!

Os tipos de fluido de radiador existentes

Orgânico (OAT)

Como o nome já diz, o fluido orgânico é desenvolvido por meio de materiais naturais — ou orgânicos. As principais vantagens desse fluido são o fato de ele durar mais que o inorgânico e ser biodegradável, não poluindo o meio ambiente.

Apesar disso, ele pode desgastar as peças de metal do carro com o passar do tempo, já que não possui, em sua composição, materiais que ajudam a evitar esse problema. Ele deve ser limpo do sistema do carro a cada 240.000 km, ou a cada 5 anos (o que acontecer primeiro).

Inorgânico (IAT)

Também conhecido como sintético, o fluido inorgânico é feito em laboratório e não possui materiais naturais em sua composição.

Ele possui, em sua fórmula, silicato e inibidores de corrosão de fosfato, o que ajuda a proteger as partes metálicas do motor e do radiador. Esse tipo de fluido deve ser limpo do sistema do carro a cada 48.000 km, ou a cada dois anos.

Híbridos (HOAT)

Os fluidos híbridos são uma mistura dos orgânicos e inorgânicos, com algumas propriedades de ambos.

Assim como os fluidos sintéticos, os híbridos ajudam a evitar a oxidação e a corrosão das partes metálicas do motor e do radiador. A indicação é que ele seja limpo a cada 5 anos, ou a cada 240.000 km.

A cor do fluido influencia em alguma coisa?

Segundo o INMETRO, as cores são meramente comerciais e não influenciam nas propriedades ou no desempenho dos fluidos. Na maioria das vezes, os fluidos orgânicos costumam ter a cor amarela, rosa ou vermelha, enquanto os inorgânicos são verdes ou azuis.

Porém, isso não é uma regra e as cores podem variar de marca para marca. Portanto, é essencial ler o rótulo para identificar o tipo de fluido.

Como escolher o aditivo para o seu carro

Geralmente, os fabricante de automóveis já definem qual o melhor tipo de aditivo para suas linhas de veículos. Essa informação pode ser facilmente encontrada no manual do proprietário, que, geralmente, vem junto com o carro. Caso o seu não tenha vindo com esse manual, você pode encontrá-lo no site do fabricante.

Portanto, a melhor opção é usar o indicado. Mas, caso você opte por outro tipo de fluido, isso não prejudicará seu carro, já que todos os fluidos podem ser usados em todos os veículos. Porém, o que o fabricante indica para uso pode trazer mais benefícios.

No geral, motores de baixa rotação aceitam qualquer tipo de fluido, seja ele orgânico, inorgânico ou híbrido, enquanto os motores de alta rotação funcionam melhor com os fluidos orgânicos. Ainda, os fluidos orgânicos e híbridos são os mais indicados para veículos fabricados após os anos 2000.

Mitos sobre o fluido do radiador de carro

Apenas veículos novos podem usar aditivos

Esse é um mito bastante popular, mas qualquer carro pode utilizar aditivos em seu radiador. Porém, como já foi explicado acima, carros mais rodados precisam ter o sistema de arrefecimento limpo antes da adição do aditivo, para evitar que a ferrugem se solte e cause problemas nas peças do veículo.

Os aditivos podem causar vazamentos no carro

Após ler essa postagem, você já deve saber que isso é um grande mito. O que acontece é que algumas pessoas adicionam aditivos nos carros rodados sem fazer a limpeza do sistema de arrefecimento.

Dessa forma, a pessoa não consegue identificar possíveis problemas e, quando o aditivo remove essa ferrugem, alguns locais de vazamento podem aparecer, dando a impressão de que o problema foi causado pelo aditivo.

Porém, nesses casos o problema sempre esteve ali, só estava escondido pelo acúmulo de ferrugem ou de outros componentes.

Não se pode misturar dois aditivos diferentes no radiador

Não há nenhum problema em adicionar aditivos diferentes no radiador. Porém, se você mistura um fluido com vida útil de 5 anos e outro com vida útil de 2, ambos passam a valer por somente dois anos. Então, é preciso ter atenção a esses detalhes para fazer com que o fluido dure mais.

O fluido do radiador pode trazer vários benefícios para seu carro e, por isso, é um baixo investimento que vale muito a pena! Para ter certeza sobre qual o melhor produto para seu carro ou quando ele deve ser trocado, leia atentamente o manual do proprietário e o rótulo do aditivo escolhido.

Se gostou deste conteúdo, siga a nossa página no Facebook, no Instagram, no Youtube e no Google Plus para receber outras dicas como essas!