Blog do Portal

Confira 7 músicas brasileiras que falam sobre carros

julho 5, 2019

Ouvir as bandas e os cantores preferidos no som do veículo enquanto dirige já é um hábito consolidado na cultura brasileira. Por outro lado, você já parou para reparar o quanto o automóvel também invade as canções? 

Há anos, músicas brasileiras sobre carros são, praticamente, sinônimos de sucesso. Afinal, elas unem dois ícones da cultura popular, duas paixões dos brasileiros. Ao longo dos anos, diferentes modelos de automóveis foram usados para simbolizar status, sucesso e fama, mas também para fazer críticas sociais e falar de amor. 

Isso só demonstra o tamanho da importância do carro e o quanto ele significa na vida dos brasileiros. Por esse motivo, essas canções dominaram as rádios e nossos corações, sendo cantaroladas por várias gerações.

Assim, como uma homenagem à música nacional e aos modelos automotivos que marcaram época, separamos 7 canções famosas que falam sobre carros. 

Confira!

1. O calhambeque – Roberto Carlos, 1964

A lista não poderia começar de outro jeito. O “Rei” Roberto Carlos, um dos maiores intérpretes da música brasileira, estourou nas paradas de sucesso da década de 1960 com seu humilde calhambeque e o transformou em um dos carros mais famosos da MPB.

O calhambeque” é uma versão da norte-americana “Road Hog” e faz uma homenagem ao Ford 1929. A música conta a história de como o cantor foi obrigado a andar por aí com o clássico após seu Cadillac ficar parado na oficina. 

No começo, o jovem Roberto Carlos ficou decepcionado com a troca. No entanto, depois de ver o sucesso que fazia com os “brotos”, mudou de opinião.

Assim, quando “o Cadillac finalmente ficou pronto / Lavado, consertado, bem pintado, um encanto”, o Rei não teve escolha a não ser admitir: “mas o meu coração na hora exata de trocar / O Calhambeque / Meu coração ficou com o Calhambeque”.

2. Mustang cor de sangue – Wilson Simonal, 1969

Uma das músicas que alavancaram a carreira de Wilson Simonal foi “Mustang cor de sangue“. Nela, há uma crítica ao consumismo e à ostentação, com o amor pelos carrões substituindo as relações pessoais. 

Na letra, o protagonista conta como deseja deixar de se casar para curtir a vida com seu Ford Mustang. “Tenho um novo ideal sexual / Abandono a mulher, virgem, no altar / Amo em ferro e sangue um Mustang, cor de sangue”.

Simonal foi um dos mais polêmicos artistas da MPB, morrendo no ostracismo por conta da má reputação que ganhou no meio artístico. No entanto, independentemente de suas escolhas pessoais ou das controvérsias em que se meteu, era um verdadeiro showman e suas canções misturavam ritmos em arranjos inovadores.

3. Ouro de tolo – Raul Seixas, 1973

Falar em Raul Seixas é falar em críticas ácidas à sociedade e em letras poéticas. Nesse sentido, “Ouro de tolo” é uma das canções que melhor resumem seu estilo e uma das mais conhecidas do compositor.

Na canção, o famoso Ford Corcel, modelo 1973, é mostrado como símbolo de status e resultado da fama. Uma condição que, no fundo, não trouxe felicidade para o personagem  pois, para ele, essas coisas proporcionam apenas uma satisfação momentânea.

Assim, Raul Seixas sabe que “devia agradecer ao Senhor / Por ter tido sucesso na vida como artista” e que “devia estar feliz / Porque consegui comprar um Corcel 73”. Afinal, esse seria o comportamento esperado pela sociedade. No entanto, o “Maluco Beleza” não ligava muito para isso, não é mesmo?

4. Fuscão Preto – Almir Rogério, 1982

Almir Rogério tinha uma carreira tímida desde os anos de 1960 até que, em 1982, resolveu cantar sobre um certo carro popular, no qual a mulher amada era vista passeando com outro homem. A música foi um sucesso e, até hoje, “Fuscão Preto” é um ícone da MPB, conhecida por quase todos os brasileiros.

Ironicamente, o Volkswagen Fusca talvez seja o automóvel mais amado no país, mas ficou eternizado na canção por simbolizar o ódio e o rancor do personagem principal. 

Depois que o coitado viu “os dois juntos se desmanchando em amor” dentro do carro, não teve dúvidas em culpá-lo por sua desilusão. “Fuscão preto com o seu ronco maldito / Meu castelo tão bonito / Você fez desmoronar”.

5. Simca Chambord – Camisa de Vênus, 1986

Camisa de Vênus foi uma das grandes bandas de rock brasileiras que surgiram na década de 1980. Com muita coisa a dizer, a “metralhadora” crítica do cantor e compositor Marcelo Nova, em “Simca Chambord“, mira o passado.

A música fala de como a família do protagonista estava em ascensão “nos idos de 63”, chegando a comprar um luxuoso Simca Chambord. O carrão, desejo da classe média da época, era aproveitado com orgulho pelo jovem da música pois, no caminho da escola, nenhum carro era melhor. “Nem Gordini nem Ford / O bom era o Simca Chambord”.

Até que mudanças no país aconteceram e “vieram jipes e tanques que mudaram os nossos planos / Eles fizeram pior / Acabaram com o Simca Chambord”. O resto da história a gente já conhece.

6. Pelados em Santos – Mamonas Assassinas, 1995

Quando a irreverente banda da cidade de Guarulhos (SP) apareceu pela primeira vez no palco com fantasias malucas, pouca gente imaginava o sucesso estrondoso que fariam. Os Mamonas Assassinas são, até hoje, uma lenda da música brasileira  a morte precoce do grupo só fez aumentar o número de fãs.

Uma das principais canções do único disco gravado, “Pelados em Santos” brinca com um ícone da indústria automobilística nacional: o Volkswagen Brasília. 

Na letra, o protagonista oferece tudo o que tem (que não é muito) para conquistar a mulher amada. Até a “Brasília amarela / Tá de portas abertas, / Pra ‘mode’ a gente se amar / Pelados em Santos”. Quem resistiria a essa declaração?

7. Camaro amarelo – Munhoz e Mariano, 2012

Não podemos chamá-la de clássico da MPB, mas “Camaro amarelo” estourou nas paradas musicais em 2012 e catapultou a carreira da dupla Munhoz e Mariano. Apesar de terem vencido um concurso para novos talentos em rede nacional de televisão, foi com o single sobre o esportivo que a dupla alcançou a primeira posição nas rádios.

O famoso cupê da Chevrolet se tornou objeto de desejo dos jovens brasileiros no século XXI, muito por conta do design arrojado e da potência do motor  mas também pelo sucesso da música. 

Na canção, o rapaz debocha da garota que agora quer sair com ele só para andar no seu carrão. “Agora você diz: Vem cá que eu te quero! / Quando eu passo no Camaro amarelo”.

As músicas brasileiras sobre carros são sucesso há muito tempo. Não é para menos. Elas juntam duas paixões nacionais ao tratar, de maneira crítica ou bem-humorada, de sentimentos e situações do dia a dia, simbolizados na relação que criamos com nossos veículos. 

Essa união é sempre bem-aceita pelo público, gerando canções que serão lembradas por gerações. Gostou de nossa lista? Então compartilhe-a com seus amigos e parentes nas redes sociais!